Filosofias Pós-Modernas


As filosofias pós-modernas são aquelas questionam os sistemas filosóficos, científicos e artísticos que caracterizam o projeto da modernidade. Envolvem diversas abordagens de pensamento filosófico que possuem como início as críticas de Friedrich Nietzsche (1844-1900) sobre os valores que sustentam o conhecimento na filosofia ocidental.

"Não há fatos, apenas interpretações."
(Nietzsche)

O filósofo francês François Lyotard (1924-1998), um dos mais importantes pensadores na discussão sobre a pós-modernidade, caracteriza esse período como uma decorrência do fim das "grandes narrativas" totalizantes, fundadas na crença no progresso e nos ideais iluministas de igualdade, liberdade e fraternidade.

Para entender melhor o modo de pensar "pós-moderno", fica mais fácil entendendo o que foi a filosofia da modernidade. A modernidade é um período identificado pela Revolução Industrial, a crença no Progresso, o Racionalismo e o Positivismo.

Os pensamentos filosóficos na modernidade acreditavam que a razão tecnocientífica favoreceriam a emancipação humana, porém a história nos provou o contrário. O que temos hoje é miséria, desigualdades sociais, catástrofes ambientais, guerras, acúmulo de lixo e dominação de países economicamente mais ricos sobre os demais.

Segundo muitos dos pensadores pós-modernistas, a exacerbação da razão chega a produzir o irracionalismo, que não permite questionar ou criticar os elementos que fundamentam essa razão. Deste modo a razão se torna uma arma de poder e agente do autoritarismo, em vez de instrumento para a liberdade humana.

O pós-modernismo rejeita uma única concepção da realidade, mas as diferentes possibilidades de interpretação dos fenômenos. A concepção da sociedade pós-moderna é de uma aldeia global, na passagem de uma cosmovisão única e universal para o respeito das diferenças e a valorização do local em detrimento do universal.

A consciência pós-moderna rejeita a estrutura de poder por meio da razão, pois não a considera como única e determinante. Neste sentido, esses filósofos criticam não a verdade mas uma única concepção de verdade, ou um centro de poder e autoridade. Deste modo, os padrões estão sempre sendo criticados e questionados.

Segundo Michel Foucault (1926-1984), o estabelecimento de uma única verdade e centro de poder torna o conhecimento autoritário e restrito. Os filósofos pós-modernos buscam captar as singularidades, particularidades e diversidades dos indivíduos no cotidiano. Deste modo, valorizam a pluralidade cultural e o respeito às diferenças.

Zygmunt Bauman (1925-2017), sociólogo polonês, um dos principais popularizadores do termo "pós-modernidade" no sentido de forma póstuma da modernidade, utiliza a expressão "modernidade líquida", para descrever esse período, referindo-se a uma realidade ambígua, multiforme, onde tudo o que é sólido se desmancha no ar.


Referências:
-Filosofando: Introdução à Filosofia. Maria Aranha e Maria Martins.
-Fundamentos da Filosofia. Gilberto Cotrim.
-Convite à Filosofia. Marilena Chauí


Por Bruno Carrasco, psicoterapeuta existencial.
Tecnologia do Blogger.