Limites e possibilidades existenciais


Enquanto seres humanos habitamos o mundo, fazemos parte de um espaço geográfico, de um grupo social, de uma condição cultural e histórica. Toda essa condição nos coloca limites e possibilidades existenciais. Somos seres limitados que ampliamos nossa existência, intervindo em nossa realidade e transformando ela.

Existem vários limites em nossa existência, somos limitados pelo tempo presente, de modo que a todo momento estamos vivendo no presente, e não há como viver em outro tempo. Não temos como reviver um passado que já aconteceu ou antecipar o futuro que ainda não chegou.

Além disso, temos o limite de espaço, não nos permite habitar dois espaços no mesmo tempo, uma pessoa pode gostar de São Paulo e de Salvador, mas não há como estar em São Paulo e em Salvador ao mesmo tempo, não há como frequentar dois eventos em dois lugares ao mesmo tempo.

Outra questão que nos limita é o outro. A liberdade do outro pode muitas vezes ser um limite para exercermos a nossa. Ao agir livremente, esbarramos inevitavelmente na liberdade de outras pessoas e na busca de cada uma delas por sua liberdade.

Nosso corpo também nos impõe limites. Se temos uma certa altura não conseguimos alcançar algo que está além, não entramos em qualquer espaço, não suportamos qualquer temperatura, nossa visão enxerga até certo ponto, nossa audição tem um limite de frequências pode escutar. Para superar esses limites inventamos instrumentos, microscópios, escadas, luvas, que nos possibilitam ir além de nossa condição corporal.

Apesar de tantos limites, há também inúmeras possibilidades do que podemos fazer ou de como podemos viver nossa vida, mesmo com esses limites. Temos também a possibilidade de alargar alguns limites e ampliar nossas possibilidades existenciais. Conforme vamos compreendendo isso, deixamos de nos sentir angustiados por conta de nossas limitações e passamos a explorar nossas possibilidades existenciais.

A todo tempo estamos esbarrando nossos limites e explorando possibilidades para superá-los. Lidamos com os limites do espaço físico que habitamos, com os limites das relações que estabelecemos e com os limites de nosso próprio corpo. O limite não é de todo ruim, pois todo limite tem e si a possibilidade de ir além dele, de expandir suas condições.

Porém, nem todas as nossas limitações podem ser superadas, mas muitas delas podem ser alargadas e expandidas. Trata-se de um exercício de nossa liberdade, no sentido de ampliar nossas possibilidades existenciais.

Estamos sempre em desenvolvimento e transformação, ampliando nossas possibilidades existenciais. Escolher novos caminhos é um ato de ir além das limitações na qual estamos inseridos, é um ato de transgressão, de superar uma condição, de desequilibrar o que está posto para emergir numa nova possibilidade de ser e de existir no mundo.

Somos seres limitados que transformamos nossa situação para modificar a nós mesmos. Estamos constantemente confrontando com nossos limites e ampliando nossas possibilidades, por meio de nossas experiências de vida. Encarar a vida dessa maneira, é olhar o ser humano como alguém que intervém no mundo e o modifica, e não como animal ou objeto que se adapta ao mundo.


Por Bruno Carrasco, psicoterapeuta existencial.
Tecnologia do Blogger.