O que é Filosofia?


Filosofia não é a busca de verdades sobre o mundo ou sobre as coisas, mas muito mais a indagação sobre as coisas do mundo e sobre as ideias de verdade ou mentira. É um modo de pensar sobre as coisas que foge a rotina e o automático.

A palavra filosofia é composta pela junção do termo "philos", que é uma derivação de "philia", palavra que significa amizade, respeito e consideração, e "sophia", que significa sabedoria ou simplesmente saber. O termo filosofia significa, portanto, a amizade pela sabedoria, respeito e consideração pelo saber.

O ato de filosofar é justamente buscar saberes e para isso precisamos questionar nossos saberes já constituídos, colocamos em dúvida o que sabemos sobre o mundo, as pessoas, as ideias e as coisas, para que possamos perceber e compreender as coisas mais profundamente. Não há nada mais curioso e aberto do que questionar.
"As perguntas em filosofia são mais essenciais que as respostas e cada resposta transforma-se numa nova pergunta."
(Karl Jaspers)
A filosofia promove uma ampliação de nosso modo de perceber e entender o mundo. Na infância, a maioria das crianças olham para as coisas com surpresa e espanto, e perguntam "o que é isso?", "o que é aquilo?", com isso vão formando ideias e imagens sobre a realidade.

Conforme vamos crescendo, a vida vai deixando de ser uma novidade, acabamos nos mergulhando no cotidiano e em respostas "prontas" sobre as coisas, deixando de lado aquelas questões curiosas. A atitude filosófica é uma espécie de retorno à essa curiosidade infantil, de querer ver e entender as coisas, as pessoas e o mundo, é colocar em dúvida o mundo que já está posto e abrir novas indagações sobre ele.

Uma pessoa que acredita que tudo está muito claro e óbvio, que acredita que tudo é muito fácil de entender, ela deixa de lado toda a possibilidade de questionamento e aprofundamento, aceitando opiniões simples e prontas. A dúvida filosófica surge justamente do espanto, da inquietação, da não aceitação de respostas simples para o mundo e as coisas.
"A verdadeira filosofia consiste em reaprender a ver o mundo."
(Maurice Merleau-Ponty)
Os elementos mais importantes para a filosofia são o questionamento e a reflexão. Para que haja o questionamento, é preciso deixar de lado nossas concepções já prontas sobre as coisas, para que possamos duvidar de nossas próprias crenças. Se penso que uma coisa é boa, ao filosofar questiono: "essa coisa é boa?", "o que é ser bom?", "é boa para quem?", "quais outras características dessa coisa?", e assim por diante.

Para filosofar precisamos questionar nossos próprios valores e crenças sobre as coisas que estudamos, para que possamos ir além dos limites de nossos preconceitos e possibilitar que novas compreensões e entendimentos se desenvolvam.

Desde a Grécia antiga, a filosofia agregava um conjunto de saberes: a física, a astronomia, a matemática, a ética, a política, a lógica, a biologia, entre outros, e não havia uma separação entre filosofia e ciência. A partir da Idade Moderna, com o desenvolvimento do método científico, os saberes foram separados em áreas independentes, tal como hoje conhecemos.

No período Clássico e na Idade Moderna, a filosofia era entendida como um procedimento para encontrar verdades e entendimentos sólidos e abrangentes sobre as coisas do mundo. Atualmente, os filósofos perceberam que não há apenas uma única verdade sobre as coisas, mas diversos pontos de vista e interpretações possíveis sobre os mesmos fatos, portanto a filosofia contemporânea não tem como intuito alcançar uma única verdade, mas ampliar a compreensão sobre os temas que estuda.
"Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas."
(Friedrich Nietzsche)
A filosofia se dedica a questoes mais gerais, enquanto que as ciências se dedicam a problemas menos gerais e mais especificos. Portanto, o estudo da filosofia é muito abrangente, pois reflete sobre tudo e sobre todas as disciplinas. Para facilitar sua compreensão há uma divisão de seus campos de atuação, alguns deles são a:

  • Epistemologia ou Filosofia da Ciência: estudo sobre o modo como conhecemos e entendemos as coisas, os métodos utilizados para se adquirir conhecimento, sobre as ciências e sobre o que podemos conhecer. Questões: Como conhecemos as coisas? Como saber se um conhecimento é seguro?
  • Estética ou Filosofia da Arte: estudo da percepção e do modo como captamos nossos sentidos, sobre as diferentes formas de expressão artística. Questões: O que é arte? Como se diferenciam os gostos estéticos?
  • Ética ou Filosofia Moral: estudo sobre os diferentes modos de ser, os costumes e as maneiras de se relacionar entre as pessoas no tempo e na história, os diferentes valores éticos e morais que orientam a conduta de uma pessoa. Questões: O que orienta nossas decisões? O que é ser livre? O bem e o mal são universais ou relativos?
  • Filosofia da Linguagem: estudos sobre a linguagem, relacionando esta com o pensamento, o conhecimento, que investiga suas origens, transformações e funções. Questões: O que é uma palavra? Como a linguagem afeta nossa relação com o mundo? Qual a relação entre as palavras e as coisas?
  • Filosofia Política: estuda os modos de organização de uma sociedade, as formas de governo, as relações humanas no sentido coletivo, os mecanismos que fundamentam a ordem social e as instituições. Questões: O que é o Estado? O que é justiça? Para que servem as leis? Qual a relação entre ética e política?
  • Lógica: estuda os raciocínios e argumentos que validam certas concepções e ideias, com o intuito de conhecer os princípios e verificar sua validade. Questões: Quando um argumento é verdadeiro e válido? O que é uma falácia?
  • Metafísica: estudo das propriedades e das essências das coisas, de suas causas e princípios primeiros, de tudo o que está além da física e da experiência sensível, ou seja das ideias das coisas enquanto ideias em si. Questões: O que é a realidade? O que é a vida? O que é o bom, belo e justo?


Por Bruno Carrasco, psicoterapeuta existencial.
Tecnologia do Blogger.